A TODO VAPOR

A necessidade de jogar para bem longe os dejetos dos moradores do Centro de Porto Alegre originou uma das histórias mais belas e pitorescas da cidade. Para conduzir os cabungos – recipientes de metal contendo o lixo domiciliar – até a Ponta do Dionísio, foi criado o Trenzinho da Tristeza, que caiu imediatamente nas simpatias da população. Logo, os vagões puxados pela brava Maria Fumaça passaram a carregar, além dos cabungos, alegres veranistas dos balneários do Guaíba. O Trenzinho partia da estação junto à Ponte de Pedra, através da Praia de Belas, passava pelo Cristal, pela Vila Assunção até chegar à Pedra Redonda. Cada viagem demorava 30 minutos e consumia mais de 300 quilos de carvão. A cada ano, cerca de 80 mil passageiros viajam no Trenzinho. Com a popularização dos ônibus e automóveis, ele perdeu espaço até ser desativado após a enchente de 1941.

Marco Nedeff

Marco Nedeff