festa ecumênica

Todo o dia 2 de fevereiro, milhares de fiéis participam do ritual de translado da imagem da santa até a Igreja dos Navegantes. Para os cristãos, ela é Nossa Senhora dos Navegantes, padroeira dos pescadores. Para os devotos das religiões de matriz africana, é Iemanjá, a orixá-mãe. A mais popular festa religiosa de Porto Alegre nasce como uma manifestação da elite, na segunda metade do século 19, quando quatro comerciantes portugueses encomendam uma imagem da santa ao artista João de Afonso Lapa, radicado na cidade do Porto. Com o passar dos anos, adquire um perfil cada vez mais popular. Cerca de 250 barcos de todos os tipos e tamanhos participam da Festa até que a procissão fluvial é proibida, quando o naufrágio do barco Bateau Mouche, no Rio de Janeiro, provoca a morte de 51 pessoas. O translado oficial da imagem até a Igreja dos Navegantes passa a ser feito por longas e massivas romarias a pé.

Marco Nedeff

Marco Nedeff