FÁBRICA DE NAVIOS

A transformação de uma pequena fundição, que produzia artefatos em bronze, instrumentos musicais e componentes metálicos para montarias, em uma das maiores indústrias navais do país demora um século. Em 1950, o complexo industrial do Estaleiro Só, situado junto à antiga Ponta do Melo, começa a fabricar navios cargueiros de grande porte, ferry-boats, baleeiras, catamarãs, rebocadores, barcaças, pesqueiros, lanchas e iates. Tem seus anos dourados durante o período desenvolvimentista do Governo Juscelino Kubitschek e, mais tarde, na euforia do milagre econômico. Nos melhores momentos, chega a empregar três mil trabalhadores. No entanto, o Estaleiro não suporta o naufrágio coletivo da indústria naval brasileira, durante os anos 1980, que o conduz à falência. A área é leiloada para garantir o pagamento das dívidas com os operários, e o grandioso empreendimento, orgulho da cidade, fica reduzido a ruínas.

Marco Nedeff

Marco Nedeff

Fototeca Sioma Breitman/MJJF – PMPA

Fototeca Sioma Breitman/MJJF – PMPA

Marco Nedeff

Marco Nedeff